baby boy three | quinto mês



cinco meses durou este momento, foi um momento, no entanto não passou a correr. foi uma fase, uma fase boa, nossa, tão cheia e tão precisa. acabou esta e começam tantas outras. hoje (ontem) fizeste cinco meses e eu percebi que durante este tempo combatemos tanto e encontramos um equilíbrio só nosso... esse ninguém nos tira, nada nem ninguém nos tira o teu início, a minha dor, a tua espera, a tua paciência, a minha perseverança, o meu choro, os meus palavrões, os meus medos, os meus queixumes e lágrimas, o teu primeiro sorriso apesar do sofrimento, a tua gargalhada apesar da minha luta, o teu crescimento apesar da dúvida. ninguém nos fará esquecer o que foi querer dar-te de comer e ter medo de te ter tão perto. o que foi chorar, berrar mesmo sabendo que te fazia bem.

se à nossa volta nos diziam para parar e eu lutava para no meu fundo encontrar o botão do desligar o leite materno para poder parar com algo que me fazia sofrer, hoje, passados 150 dias, sei que a nossa missão foi cumprida. queria dar mais, mas também sempre quis dar mais e bem dado, com calma, sem nada para além de tempo... não foi assim, já aqui o disse pelo menos outras quatro vezes, em cada mês que passava fazia uma avaliação... nunca consegui parar, hoje talvez diga que ainda bem, mas tantas vezes me perguntei porquê... afinal, a resposta é simples, por ti.

há três dias que acordas durante a noite e quando te dou a maminha, recusas... bebes leite em pó... e eu choro, agora com todo um outro tom e sentimento, não de falha, caramba, não falhei, acho que não falhei, mas de pena porque no fundo foi uma batalha, se bem que superada, o meu coração de mãe diz que podíamos ter ido mais longe, mas como se hoje voltei ao trabalho? como se eu ando nervosa? ansiosa? e com tantas saudades tuas?... tu já o sentias e acredito que seja o teu modo de me dizer "mãe, pare, já chega"

o leite, meu, ainda existe, ainda tenho e bem, vou deixar secar naturalmente, já não o sinto subir há uns dias, mas sei que o tenho ainda. vou fazer como aos teus irmãos, com calma, deixar de pensar nisso, ao pouco não to dar e aos poucos deixar que essa fase deixe saudades.

começaste as sopas e fruta mais cedo, bem mais cedo que os manos, mas porque para beberes mais leite em pó preferi introduzir comida verdadeira, tem sido uma delícia ver-te provar tudo com gosto e com cuidado, sujas-te imenso, metes todos os dedos à boca, mas não cospes nem vomitas e choras entre colheres, há que manter um ritmo e um andamento típico de qualquer criança vinda do lado paterno. que bom que é ver-te crescer, bem, saudável, feliz e tão bem acompanhado.
estamos a fazer alguns sacrifícios para que não sintas este meu retorno, ou abandono, e que tudo à tua volta seja o mais natural possível... com pena minha foi abrupto e sinto que não o fiz da melhor maneira, mas que seja agora assim e que todos os momentos contigo sejam sempre de qualidade e que deixem boas memórias a todos. que sejas feliz acompanhado desta tropa que vai tentar manter-nos todos a funcionar e que sejamos capazes de estar tranquilos e serenos com as decisões que tomarmos para ti e contigo.

mais um mês de um bebé tão doce. obrigada v, por tudo, por ti.

have a great week | 25.2017


dia da criança | timberland&vans


timberland | 1.2.3.4 _ vans | 5.7.8 _ zara | 6

Os manos fazem anos no dia 31 de maio, um dia antes do famoso, e tão apetecido, DIA DA CRIANÇA. Por hábito não costumamos dar prendas, porque no dia anterior já houve que chegue, mas tento fazer qualquer coisa com eles e sim, ofereço sempre qualquer coisa porque o meu coração de mãe não aguenta quando vê coisas giras e cool para os meus boys crescidos. A Timberland e Vans são marcas que pensam e muito bem nos rapazes que querem ser miúdos crescidos. Têm ambas tamanhos bons e cores que eu adoro. Nunca os visto de igual, mas gosto que tenham o mesmo look, mudando uma cor, ou um adereço que possa alterar logo uma combinação. 
Como gémeos, sei que também o preferem assim!
Azul e encarnado, cores giras e tão típicas destas mesmas marcas. Não é apenas uma tshirt, nem apenas uns calções, é todo um combinar de peças giras. Os óculos são da Zara, porque não faz mal ir buscar uma peça ou outra aqui e ali. 

have a great week | 22.2017


quarto mês | babyboythree


Quando ontem postei a imagem dos quatro meses do V logo recebi msgs a perguntar como estava a saga da amamentação! Parece que deixei bem impresso o drama que isso foi... e não deixou de ser. a grande diferença entre o primeiro mês e agora é sem dúvida a dor constante. Essa já era.. e o sol apareceu. Estar em permanente dor e não poder sair de casa foi sem dúvida o pior de tudo, quando o sol apareceu apesar de ainda haver dor, há mais vontade de sair... hoje, aos quatro meses o V passa mais tempo fora de casa comigo, claro, do que dentro e para a cabeça faz toda a diferença, a minha!

Essa dor constante desapareceu realmente, mas a pega, essa não a consegui corrigir e mesmo não achando que já é tarde para o fazer, já não me ralo tanto. ele come muito bem, de noite mama e tiro leite quando consigo, mais ou menos duas x por dia, e quando saio de casa levo leite em pó, não faço dramas, não deixo de lhe dar maminha e consigo sempre que posso tirar para que tome o meu caso eu precise sair ou estiver com o peito ainda muito sensível. Isso não desapareceu. A sensação de ter leite a mais ainda não desapareceu, mas cheguei a um equilíbrio, principalmente mental, o meu. Hoje em dia, eu e o baby V somos melhores juntos do que fomos há 3 meses. Consultei quatro CAMs e apenas na última vi luz ao fundo do túnel, obrigada Francisca da Let'sGrowUp, porque me abriu os olhos quanto ao que realmente era importante, sarar as feridas para sarar a mente. Enquanto eu tivesse feridas não havia volta a dar e para sarar seria preciso algum distanciamento dele para que o peito descansasse...

Redescobrimo-nos os dois e hoje neste equilíbrio tranquilo e pacífico para ambos, somos mais fortes e mais unidos que nunca, de tal maneira que ao contrário dos manos... este, se me vê a sair de perto dele choraminga, se o pai lhe pega ao colo e o vira para a frente... e me vê, chora! vai com facilidade para outros colos, mas não quer estar nunca sozinho.

Ri-se como se não houvesse amanhã e põe toda a gente a rir. É delicioso vê-lo interagir connosco e com todos. É daqueles que adora que as velhotas interajam com ele nos cafés e no bairro já faz as delícias dos vizinhos que o vêm todos os dias.

E aos quatro meses, tivemos já uma constipação para curar... nunca tive um bebé tão pequenino doente e por isso apanhou-me de surpresa, mas na verdade é um querido. Apesar de doente, dorme muito e pede mais colo, mas é amigo da sua mãe.

Continua a ser um doce, continua a ser bonzinho, a fazer noites longas e comer muito bem, seja onde for com quem for. Com ele aprendi já imensa coisa... recomeçar é sempre bom, sempre preciso. E que bom que é todos os dias ver este bebé por perto, abraça-lo até à gargalhada, e cheirá-lo até mais não.

Os manos continuam apaixonados, mais calmos nas reacções connosco pais, e sempre muito ternurentos com o mano. Querem que ele cresça depressa para saberem o que faz e como faz o quê um bebé! Querem que se vire, que gatinhe, que ande, que fale e que saiba tudo sobre star wars e o benfica. Gostam muito dele, é o que mais me dizem durante o dia, mas apesar da idade sei que não têm noção de muita coisa, principalmente da fragilidade dele... mesmo assim, dou-lhes tarefas para me ajudarem, nunca envolvendo fraldas lol, mas coisas como tomarem conta dele enquanto estou com um dos manos no banho, brincar com ele enquanto eu estou a tentar trabalhar, lerem-lhe histórias enquanto eu estou na cozinha... é bom. Era só isto... era só isto que eu queria.

dia da mãe | mother's day

depois de seis anos a festejar o dia da mãe com dois miúdos, este ano há um novo começo!
o babyV veio acrescentar ainda mais alegria a este dia e eu sou a mãe que sempre quis ser.
quando o fui pela primeira vez, completamente a leste, pensei conseguir fazer tudo, o equilíbrio entre mãe educadora, profissional, amiga e maravilha parecia-me tão alcançável que nem pestanejei... passados estes anos todos e mais um bebé... não tenho ilusões!

não sou nada disso na perfeição e acima de tudo ninguém mo exige também. encontrar o equilíbrio entre todas as minhas virtudes e o que lhes posso oferecer é das tarefas mais difíceis e mais alucinantes que alguma vez já tentei fazer... e não atenua com o tempo. somos as nossas piores inimigas quando queremos dar conta de tudo e de todos. exigimos imenso de nós próprias e daí exigirmos tanto dos outros também... porque não relaxamos mais se de facto ninguém pede que lhes demos o mundo? no fundo eles, miúdos, só precisam de nós, ali, dedicadas e atenciosas, cheias de mimos e abraços, para ouvir, rir, brincar (super difícil para mim na verdade... ) e para chorar também.
tentar encaixar anos da nossa infância numa semana da deles é pura e simplesmente egoísta da nossa parte... eles não querem isso e ninguém nos mandou tentarmos conciliar tudo. tpcs, banhos, tarefas, jantares, lanches, festas de anos, roupas, horários, brinquedos, tv, brincar, extracurriculares, paz, sossego, catequese, missa, cromos, primos, avós.. ufa parece que não nos deixamos tempo para respirar fundo... e quem nos disse que tem que ser assim? nós!

hoje, dia da mãe, acordei para dar de mamar ao V... a minha saga continua! e de repente na cama grande fui confrontada com a realidade de ter cinco pessoas em casa e todas elas minhas! de repente aquela hora de mamar, conversar, dizer mil vezes "bom dia da mãe" e receber presentes fez todo o
sentido e fez com que todos relaxássemos, eu principalmente!

como é difícil para mim relaxar... tenho a quem sair... nunca relaxou... e daí nunca nos gozou a sério. que eu não caia no mesmo erro, que eu saiba sempre parar para me ver. eu, que não sou mais do que nós! eu, em todos os meus mundos, sou resultado de todos nós juntos. que vocês me possam sempre ver no futuro quando festejarem também este dia com os vossos filhos (vou ter noras... medo!)

a todas as mães, espero que tenham tido um excelente dia, cheio de confirmações que damos sempre o nosso melhor e que, para eles, chega!



have a great week | 19.2017


baby boy three | terceiro mês


durante este terceiro mês já não me apeteceu falar mais do assunto da amamentação, as dores continuaram, a feridas não fecharam e eu pouca paciência tenho para falar sempre do mesmo... houve alguma esperança mesmo antes da páscoa, mas foi sol de pouca dura. a solução foi mesmo ocupar-me ao máximo, passear sem rumo horas a fio e tentar não pensar no assunto até ao último segundo para que o momento fosse o mais natural possível, com dores ou sem dores o importante é dar-lhe de comer e isso eu não lhe podia recusar.

mas o terceiro mês não foi de todo só isso, foi uma descoberta de coisas novas. as mãos, os manos e a gargalhada. as mãos, essas coisas gordinhas e boas de morder, metem-se na boca e sabem tão bem. o pai entra em pânico a imagina-lo a chuchar no dedo, já eu deixo-o, não pelo dedo, mas porque é bom vê-lo descobrir o corpo e as mãos são mesmo de se morder. quando for mais preciso e chegar ao dedo talvez o pare... até lá, deixem-no. a descoberta dos manos foi aos poucos, de repente já não mama tranquilo porque os procura, já não quer ficar sozinho no tapete e espreguiçadeira porque os procura, se os ouve, pára e se os vê pisca os olhos qual cachorrinho que percebe que vai à rua!

e para mim o melhor é mesmo o rir sem parar, a gargalhada silenciosa e o espernear quando ri muito como se todos corpo fizesse o som que fará não tarda e nos vai derreter o coração. sempre bem disposto, com os seus momentos mais chatos e menos tranquilos é um bebé bom, amigo dos sonhos e das noites, amigo dos passeios intermináveis no sling com o pai, amigo das idas e vindas da escola, e muito amigo da mãe com quem conversar incessantemente.

recomeçar passado seis anos a tratar de um bebé tem sido uma descoberta, nem sempre fácil nem simples, claramente não é tudo novo, apesar de tudo manusear um bebé não é agora tão assustador como foi manusear os gémeos mais pequeninos e tão estranho para ambos. agora, é tudo novo simplesmente porque o V é bastante diferente dos manos e agora é tudo diferente na nossa vida. tenho tempo para ele como nunca tive para nenhum dos manos individualmente. lembro-me que quando um dos manos acordava já com 6 meses depois da sesta, eu "raptava-o" para o jardim e dizia apenas à babá "leve-me o outro ao jardim quando acordar" porque queria muito gozar um sozinho, independentemente de qual era, era importante que me tivesse só para ele. agora o V é outra coisa, tem-me só para ele todo o dia, e somos uma mini equipa de tarefas domésticas e trabalho. a alcofa passou a ser uma continuação da minha mesa de trabalho e eu sento-me com uma mão no teclado  e a outra nas bochechas mais fofas de sempre, a meter a chucha, a fazer festinhas e a embalar. tudo se pode fazer apenas com uma mão e se assim não fosse não conseguiria trabalhar durante esta "licença".

o que é certo é que tem sido muito bom ver este pequeno ser crescer, rir, falar e aos poucos brincar. faz as delícias de todos e é sem dúvida lindo, fofo, muito querido e social. dorme bem, come bem... não me posso queixar de todo. tem os seus momentos mas até agora houve sempre razão para os choros, para as irrequietações, para os horários curtos e para precisar de colo e enquanto assim for melhor. as comparações com os manos este mês não as há, parece-me tudo bastante igual e dito isto bastante normal. o V é maior de tamanho, ás vezes apetece-me pô-lo sentado e lembro-me que não tem 6 meses mas sim 3 e será esta a maior diferença com os manos, é maior, mais pesado e não tão frágil como eles eram nesta altura. mas todos com três meses começaram a meter as pernas ao léu, o calor chegou e apesar de estarem em hemisférios diferentes, ver bebés com roupas frescas é sempre muito bom.

gosto disto | powerful mom heart

A Rita, ilustradora portuguesa a viver na Coruña, e minha amiga vá, lança hoje um presente especial para o dia da mãe! Uma homenagem à força e ao poder do amor materno!!
Quer celebrar a maternidade e em especial o dia da mãe com o lançamento de uma jóia Made in Portugal. Um colar com um pendente em forma de coração onde está gravada a inscrição "powerful mom heart". 

Para mães que morrem de amores pelas suas mini pessoas!

catita illustrations | loja  (com envios grátis para Portugal!) . facebook . instagram




let's party | circo



Amanhã a Maria Luisa festeja 3 anos, 3 anos!! Nem acredito! Organizei a festa do primeiro aniversário e tem sido tão bom acompanhar aquele sorriso!
Este ano há pedidos muito importantes, quer um circo!! E que boa ideia para festas de primavera, daqueles dias em que ainda não está um calarão que não se pode, nem chuva, nem frio de gelar. Dias em que as cores são a base do tema! Tem que ser colorido! Podem atenuar nos encarnados típicos do circo, mas as cores têm que lá estar TODAS! 

A Maria Luísa vai ter uma festa giríssima, com os amiguinhos da escola nova que se vão divertir entre pipocas e marshmallows como nunca o fizeram! E que bom que é pensar nestes momentos. 
Obrigada Cátia por te lembrares de mim e divirtam-se muito no vosso circo!

Se quiserem fazer uma festa com o mesmo tema, deixo-vos aqui os links dos produtos que tentei juntar para o momento. Depois mostro-vos o resultado final! 

what to wear | furla oxygen




E de repente já tudo parece verão, a brisa da manhã é ainda fresca mas já fica calor ás duas da tarde. o tempo já convida a cores fortes e a sandálias! Calças com camisas leves, largas e frescas. e porque não acrescentar um pormenor forte como o anel que faz matchy matchy com as sandálias que já estão no carrinho de compras cá de casa!

A cor desta Oxygen da Furla é qualquer coisa! De pvc, inspirada nas piscinas insufláveis e nos jardins cheios de bóias da California, mas com detalhes mais metropolitanos como o fecho e a alça em metal! E o mais engraçado é que esta malinha é mesmo insufláveis e super fácil de encher e esvaziar, e guardar em qualquer lado! Playful and chic!

gosto disto | lactacyd


LACTACYD | sitefacebook | youtube

Sentir-me confortável, durante e depois da gravidez é essencial e ainda bem que me deram a conhecer a gama da LACTACYD há uns anos e ao longo do tempo que a uso tenho alterado o produto consoante a fase da vida em que me encontro. Neste momento e desde que engravidei, que uso o LACTACYD ANTI-SÉPTICO recomendado para ser usado na gravidez e nos pós-parto, pois são alturas da vida de mais risco para infecções, assim como para quem faça muito desporto. Estamos mais frágeis na protecção de infecções e devemos usar o melhor para o nosso corpo. 
Os produtos da LACTACYD têm uma fórmula de ingredientes muito suaves e delicados que respeitam o pH e equilíbrio natural da zona íntima das mulheres. 

Não sou perita no assunto, mas acredito que existem temas que apesar de mais chatos de falar ou ninguém mesmo falar do assunto, não faz mal sabermos o que usamos, para que usamos e saber recomendar. Há quem nem use nada deste género, eu não me vejo sem e faz parte da minha rotina. 

Se experimentarem tenho a certeza que se vão sentir bem!

what to wear | vans old school

ui, quando me mostraram estes VANS old-school lembrei-me logo de um look que mistura tanto conforto como algo mais elegante. e voilá!! liguei logo à minha amiga Rita que percebe mil vezes mais de moda que eu, falou-me deste casaco há uns dias e eu lembrei-me logo dele! embora a marca VANS seja mais descontraída e de skaters pode perfeitamente ser conjugada com algo mais marcante e com brilho sem que seja "demais".

com uma tshirt básica branca e uns "mom jeans" de virola fica o look completo. numa tshirt branca fica sempre bem um fio simples, e este para além disso como dia a rita é "simple, yet significant!"

acrescentem um pormenor de cor, num acessório, como esta malinha amorosa da moreisbetter que dá cor e chama o verão! e não sei... quero ir comprar já tudo!!!



1. vans old school | 2.jeans | 3.casaco | 4.t-shirt  | 5.fio | 6.malinha


baby boy three | presente dos manos


pedi aos manos mesmo antes do V nascer que fossem pensando em pequenos presentes para lhe darmos ao longo do primeiro ano, em cada mês. eu tratava de arranjar ou comprar, mas eles escolhiam. tem sido um amor,  ouvi-los falar do que querem dar no próximo mês. têm tendência a propôr ou coisas muito queridas, de bebé ou logo adereços de star wars.

no primeiro pediram uma almofadinha nuvem das que existem lá na #lojamaisqueridadobairro com etiquetas para eles tocarem e sentirem diferentes toques e é tão fofa que percebo perfeitamente. quiseram meter na cómoda onde lhe mudamos a fraldas, mas já foi promovida para a cama dele agora que já não dorme à noite na alcofa, passa o dia na sala com ela. a nuvem é um amor e claro, aproveitei para a mandar fazer nos tons lá de casa, em cinzas claros para que seja neutra, sempre a pensar no quarto deles no futuro.

o V ainda não liga muito mas que não pense que não notámos que adora dormir encostado a ela a sesta da tarde, não tarda já a agarra e já a morde! ansiosa por mais...

baby boy three | segundo mês


acho que passei trinta dias a pensar nas maminhas, a falar de maminhas e a tratar das maminhas. passei um mês a tentar fazer com que dar de mamar não doesse, não massacrasse, não magoasse, não me fizesse chorar, nem gritar nem dizer palavrões... e ele cresceu, ficou gordinho, aprendeu a sorrir, faz um som que parece gargalhada, adora palrar, gosta de lhe mudem a fralda, relaxa quando o despimos e vestimos, tem olho azul, cabelo clarinho e muito, adora que se penteie, fica zen no banho dentro do balde, adormece sempre depois do banho, gosta de me ouvir cantar e vibra com o barulho dos manos, não diz um piu no colo do pai e sabe que ali se dormem sestas boas, gosta de passear na cozinha enquanto se faz o jantar e a chucha serve apenas para dizer que tem sono.

que mais...
ah, ainda mama... muito, com gosto e engasga-se de tanto leite que eu tenho para lhe dar... mas mãe sofre e sofre mesmo. vamos por partes...

amamentação: apesar das n tentativas para que tudo passe e melhore, para que eu relaxe a dar maminha, deixe que ter medo, parece que a coisa não vai passar disto. ainda tenho dores, mas já não vou na cantiga do "ele deve pegar mal", finalmente à terceira expert de amamentação percebi que fiz ferida e enquanto essa não sarar, não há nada a fazer. mas eu apesar de parecer masoquista, também sei que para as sarar seria preciso parar de dar maminha, tirar sempre leite e viver basicamente dobrada sobre mim mesma e encher biberons, não quero... dou-lhe maminha de noite, e tento ao máximo tirar o que consigo, como tenho muito consigo encher logo para mais do que uma refeição, mas fico k.o., fico tão cansada, cheia de fome e vivo neste ritmo alucinante, mas ele está tão bem que nem imagino de outra forma. aceitei a dor que há um mês me pareceu impossível. tinha para mim o limite do 2º mês para lhe dar e depois tinha a certeza que ia deixar de dar, passava a leite em pó e passava a gozá-lo ainda mais... mas não consigo... ainda não fomos à consulta, mas temo que nem aí vou conseguir deixar... e seja o que a dor quiser. ando nisto...

cólicas: imeeeeeensas mas não é muito rabugento como foi há um mês, hoje já se controla melhor e apesar de ás vezes ficar muito tempo sem evacuar consegue estar tranquilo... é o menos para um bebé que é bonzinho e dorme muito bem

vacinas: nas primeiras, de hoje, do 2º mês, ele portou-se lindamente... já eu chorei. porque é que ainda não inventaram vacinas em modo spray, ou xarope? que maldade esta. mesmo não tendo chorado quase nada, eu odeio e tive mesmo que chamar a minha irmã para ir comigo. parece tolice, mas eu poupo-me ao que me faz impressão, já comigo é na boa tirar sangue, vacinas ou análises, olho sempre para a seringa sem problema nenhum... em bebés? odeio... e deixa-me muito incomodada. no fim quem deu colo foi o V à sua mãe!

noites: quero usar a palavra magníficas porque durmo um bloco de 6h e outro de 4h e ele adormece das duas x logo e sem precisar de mais nada se não de estar aconchegadinho na cama... não posso pedir mais. os manos fizeram noites de 5h de seguida só aos 5 meses e aos 6 meses é que passaram a dormir uma chamada de noite inteira que não deixava de ser acordarem de madrugada. o V com estes horários está acordado até mais tarde para que o pai o goze bem e acorda a tempo do ritmo escolar dos manos e faz parte da nossa rotina. encaixa na perfeição!

passeios: adora andar na rua! como os manos relaxa imenso com o ar da rua e não refila nunca quando o meto no sling ou no carrinho... ando imenso com ele na rua porque acredito que lhes faz optimamente bem andar na rua, ver gente, ouvir ruído de fundo... mal entramos em casa, acorda, chora e não se cala enquanto não comer! eu devia aprender a chegar a casa bem antes dele comer, mas eu também adoro andar no laréu! já foi jantar fora e quando mais rumor mais ele dorme profundamente!

trabalho: há dias muito bons, outros bons, outros péssimos para tentar trabalhar. o normal é trabalhar mais de noite quando o pai e os manos o namoram de tal maneira que nem percebem que eu cá estou!
mesmo assim, tenho que trabalhar todos os dias um bocado porque fico senil se não o fizer. não consigo não trabalhar!




dia da felicidade | quase primavera

e dizem que é dia da felicidade!!
ora bem se o é que seja e que o passemos a lembrarmo-nos mesmo disso... podíamos acrescentar que a felicidade quem a faz somos nós e podíamos até fazê-la todos os dias, mas já que há um dia só para ela, então que assim seja e já o dia vai a meio!

cinco dicas para passar o dia da felicidade mesmo mais feliz? aqui tem:
. pensamentos positivos! sem ele o dia não tem piada, se andarmos sempre a pensar no pior, atraímos exactamente isso. a primavera começa amanhã e temos mais é que pensar que o mau tempo já passou e o frio não tarda desaparece!! da minha parte, hoje começa a dieta, o baby v já faz horários dos bons e embora precise de colo, o meu pensamento mais positivo é: pelo menos é o MEU colo!! ;)

. uma boa acção! hoje ainda vale mais! ;) não sei se sim ou não, mas boas acções valem sempre, hoje empenhem-se ainda mais! ainda tenho umas horas para fazer a minha... o colo tem sido tanto que ainda não saí daqui!

. trocar o chá quente por gelados! não fosse eu casada com um italiano, só comia gelados no verão, mas por aqui comemos o ano todo, no entanto, dá-me um gozo imenso poder pensar que vem por aí dias a fio de gelado na mão! apesar de preferirmos gelado de bola, que ninguém me tire o gelados OLÁ, principalmente o corneto de nata!!!!! yum!

. rotinas? para quê? nada melhor que a primavera para trocarmos um pouco as coisas, e eu já não vou pagar mais o dístico e não tarda estou a caminhar sem parar!! 

. mudar! aproveitem para mudar um pouco as coisas, eu já cortei o cabelo! uns dias antes mas teve que ser. e o baby V tb parece que cresceu como as flores na primavera, já anda a recomeços fazem bem a todos, mudanças ainda mais!

no fundo basta sair da zona de conforto e fazer o que nos faz sorrir!! 
bom dia da felicidade e que chegue a primavera!!


have a great week | 12.2017


gosto disto | pecegueiro&f.os


pecegueiro&filhos | facebook | site | instagram


adoro coincidências e esta foi umas das melhores ultimamente. como sabem faço a gestão da #MINILOJAmaiqueridadobairro onde temos um espaço que alugamos a quem o quiser usar para vendas, stock-offs, lançamentos de novas marcas, festas, workshops, eventos, etc no entanto este último mês tenho estado off por questões queridas em tamanho mini e não pude acompanhar alguns dos pedidos que nos foram feitos para o espaço, um deles o da marca pecegueiro&filhos!
marca nova para crianças que escolheu o nosso espaço para se anunciar ao mundo.
pois bem. estava eu na passada 6ª-feira a passear pelo meu bairro quando me lembrei que me tinham falado de uma nova loja, aqui no bairro coisa rara, de roupa infantil diferente e cheia de pinta. lá fui eu investigar e eis senão quando dou de caras exactamente com esta marca, num espaço giríssimo e com imenso gosto! conversa puxa conversa e de repente percebemos que era a tal marca que tinha pedido para fazer o lançamento na #MINILOJA. bom, resumindo e concluindo foi uma excelente coincidência, nem sempre sabemos tudo sobre quem usa o nosso espaço, mas foi muito engraçado ter percebido ali na nova loja.

a pecegueiro&filhos nasce da vontade de fazer algo novo baseado nos três filhos do casal e digo-vos que é muito o meu género!! a marca vai dos 2 aos 12 anos e embora o meu mini v ainda não vista nada disto, os manos terão de certeza o que vestir aqui.

que bom que é ver algo diferente e único por estas bandas. tenho a certeza que irá ter sucesso, já faltava algo assim e como eu tantas de vocês irão gostar. colecção pequena mas que não pára de mudar e crescer, sem limites à imaginação.

recomendo vivamente uma visita ao espaço aqui na Lapa, mas se não puderem já sabem, de quinze em quinze dias vão estar na MINILOJA 6ªs e sábados em Campo de Ourique. e combina tão bem!!

have a great week | 11.2017


baby boy three | sling


SLINGS! a melhor coisa para embalar bebés! 
é talvez o produto que eu mais adoro a seguir a roupa em miniatura para bebés. se me ouvirem falar de slings ficam a saber as mil e uma vantagens para os bebés e para nós que os usamos e carregamos. ao contrário do sling, odeio ovinhos e chapéus-de-chuva... e para andar com um no braço é impossível andar com o outro na outra mão e o sling é perfeito para um excelente multi-tasking! ele no sling, guarda-chuva numa mão, saco das compras na outra! ou outros mil exemplos. 
quer sair de casa para ir buscar qualquer coisa rápida para comer? ir tomar um café? vai ali à farmácia e já volta? use um sling!

parece anúncio de televendas, mas eu vendo slings como pipocas! e sou apologista dos mesmos a 100%. há outras opções e acima de tudo cada uma, ou um (que os pais também gostam de os usar!), tem que saber o que prefere, tem que conhecer algumas opções antes de perceber bem o que gosta mais e com o qual se dá melhor... ou até o bebé, se bem que acredito que se nós tivermos confortáveis, eles estão ainda mais. 


passear com um bebé num sling é simplesmente delicioso, o calor, o mimo, o colo sem braços (já podem dizer ás avós que não dão demasiado colo ao vosso filho porque na verdade ele está num sling sem braços!), a ternura, a posição, o conforto e o aconchego é qualquer coisa inexplicável, parece apenas um pano onde se enfia uma criança, mas é muito mais que isso. para mim o sling serve não só para o tal multi-tasking e o tal colo sem ser colo, mas tem outras grandes vantagens. 
acredito que ajude imenso nas cólicas, a posição em que ficam no início é super confortável e ao estarem dobrados na posição quase fetal alivia imenso as dores de barriga e faz com que libertem os gases mais facilmente, atenção que não é a mesma posição do ovinho, pois o ovinho é muito mais duro e estão mais à larga... para os bebés que não gostam muito de chucha o sling é também um truque muito bom. ao estarem mais apertadinhos ficam mais seguros do meio ambiente, como a diferença entre meter um recém-nascido numa alcofinha ou logo numa cama de grades... eles precisam do conforto de um espaço mais pequenino e o sling permite que se sintam super seguros. ao se sentirem protegidos, introduzir uma chucha já não lhes parece tão estranho, não meto as mãos no fogo, mas experimentem insistir na chucha quando estão no sling... tenho quase a certeza que é muito mais fácil. 

 

sling | atelier da tufi

os manos passavam a vida no sling, os ovinhos nem saiam do carro e até quase aos 3 anos, sim, isso mesmo, andaram no sling, as posições vão mudando e o conforto adaptado à idade e necessidades do bebé. faço tudo com o sling, arrumo, estendo roupa, cozinho, vou à rua, ás compras, buscar os miúdos, enfim, faço tudo o que preciso de fazer com duas mãos tendo ao mesmo tempo um bebé lindo ao colo. não é para ficarem ali horas a fio, mas é sem dúvida uma maneira muito querida e eficaz de termos os nossos mini bonecos muito perto de nós e conseguirmos fazer tudo o resto. 


cinnamon buns e caffe latte | copenhagen coffee lab 

existem vários modelos de slings e outros tantos exemplos de babycarrying que podem experimentar, eu recomendo este. podem encontrar este modelo na #lojamaisqueridadobairro e se precisarem de ajuda ou do meu mini workshop, deixem aqui mensagem ou enviem email para info@atelierdatufi.com e combinamos uma hora para vos explicar tudo. claro que podem ir quando quiserem, mas eu recomendo sempre irem com o vosso bebé, seja em que idade for, mas quanto mais cedo melhor!! como os meus que andam no sling desde que saiem da maternidade. 
o amor destes slings também passa por poderem escolher os tecidos que quiserem e isso o Atelier da Tufi tem ás dezenas!!